Entrar... bandeira portuguesa | flag of england Enter...

Xistórias|23 de Novembro de 2013
para a criação de uma performance digital nas aldeias do xisto

Xistórias é uma performance realizada com os habitantes das aldeias com base nas estórias orais antigas e contemporâneas, nas atividades familiares e profissionais do dia-a-dia e nas expectativas sobre o futuro desta região, cruzando materiais da terra e do campo com meios tecnológicos digitais. Parte da performance será transmitida em tempo real através da Internet para Lisboa. O projecto explora ainda uma dimensão social, chamando a atenção para a exclusão tecnológica a que o território está sujeito. À desertificação geográfica junta-se a impossibilidade de comunicações - de apanhar ou não apanhar rede no telemóvel, de ter ou não ter sinal de Internet.

A Xistórias acontece no percurso turístico das Aldeias do Xisto do Concelho de Góis. Terá início na aldeia Aigra Velha com caminhada até à aldeia Pena, viagem até à aldeia Aigra Nova e passagem pela aldeia Comareira.

Participantes
A Xistórias são pessoas... as suas estórias e acções transformadas na paisagem, entre a terra, o frio, a arte e o compromisso.
Alexandra Claro; Adelaide Nunes; Ana Bandeira; Catarina Claro; Coriolano Barata; Daniel Simões; Diamantino Simões; Diana Marques; Eunice Gonçalves Duarte; Joana Silveira; Jorge Lucas; Da. Júlia Nunes; Lurdes Claro; Lurdes Lopes; Manuel Claro; Maria do Céu ; Maria do Rosário Claro Barata; Mário Montez; Marta Marques; Os Romeiros (‘J’m Black, Giles Romer, Kate Romer; Kin; paula roush; Pedro Claro; Pietra Luah; Rui Marques; Salvador Barnet; Victor Martins e Victor Ribeiro

Em Lisboa: João Correia, Miguel Gomes, Rúben Marques, Paula Soares e Ricardo Vieira.

Agradecimentos
O xisto é uma sobreposição de lâminas; dele se fazem muros, currais e casas onde habitam pessoas que contam estórias à lareira ou as postam na Internet. Xistórias faz-se de lâminas, valiosos contributos visíveis e invisíveis, que dão forma a novos muros, currais e casas de olhares, sentires, estéticas, acções, saberes e aprenderes. Nesta construção, foram muitos os que se juntaram a nós:

Alfredo Simões; Alda Antunes (GCRP/ESEC); Ana Castanheira; Ana Sá – CM Góis; Sr. Armando e Esposa; Bruno Victorino (CM Góis); Carina Esteves (ESEC-TV); David Santos; Diamantino Simões; Diana Correia; Da. Giselda; Gracinda Castanheira; Helena Martins; Irmãos Aires e Carlos Santos; Isabel Martins; João Ventura (CeMeia/ESEC); Jorge Lucas; Lucília Salgado; Lurdes Miguel; Lurdes Claro; Manuel Claro; Mário Luís Barata; Nando; Paulo Silva; Pedro Celavisa (CeMeia/ESEC); Pietra Luah; Ricardo Melo; Rita Miguel; Rita Ribeiro; Rui Santos; Stefano Castello; Victor Martins; Casa do Concelho de Góis em Lisboa; Liga dos Amigos do Bordeiro; Pastelaria Kentidoce; Restaurante Beira Rio; Restaurante Caravela; Tasquinha da Pena; TransSerrano.

Agradecimento especial aos habitantes das aldeias da Pena, Comareira, Aigra Velha, Aigra Nova e da vila de Góis...e também aos amiguinhos canídeos: Bonita e Fred, Fred II, Benfica, Ligeiro, Poeta e Pimpolho, Patusca, Petra, Mickey e Minie.

O projecto é promovido pela Salamandra Dourada – associação cultural, financiado pela ADXTUR - Agência de Desenvolvimento Turístico das Aldeias do Xisto e PROVERE - Programa de Valorização Económica de Recursos Endógenos, realizado em parceria com Lousitânea – Liga dos Amigos da Serra da Lousã, Câmara Municipal de Góis e Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Coimbra.